Porto Velho (RO)22 de Julho de 202418:36:55
EDIÇÃO IMPRESSA
RONDÔNIA

Vídeo: Greve do Ibama de Rondônia começa nesta quinta-feira (4)

Servidores do Ibama aderem à paralisação por tempo indeterminado em busca de melhores condições de trabalho e reajustes salariais.


Imagem de Capa

Foto: Reprodução

PUBLICIDADE

A partir desta quinta-feira (4), os servidores do Instituto do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) de Rondônia iniciaram uma greve por tempo indeterminado. A mobilização, que já afeta outras unidades da federação desde junho, tem como principais demandas o reajuste salarial, melhorias nas condições de trabalho e reestruturação das carreiras.

Com a paralisação, apenas atividades essenciais serão mantidas, como o licenciamento ambiental, que contará com 10% dos servidores para concessão, renovação ou acompanhamento de licenças. Além disso, serviços de fiscalização ambiental, resgate de animais silvestres e emergências continuarão operando.

Presidente do SINDSEF, Almir José Silva, destacou a necessidade de apoio à mobilização dos trabalhadores frente às retaliações do governo. A greve impacta projetos como gasodutos e pesquisa sísmica, gerando perdas significativas de arrecadação. "O SINDSEF está presente no primeiro dia de paralisação para apoiar a mobilização da categoria, que busca negociações com o governo há bastante tempo sem sucesso", frisou.


A greve dos servidores federais das áreas ambientais já se estende por 25 estados e tem impactado significativamente o processo de licenciamento de projetos. O Ministério da Gestão e Inovação em Serviços Públicos (MGI) encerrou unilateralmente as negociações após recusas de propostas, enquanto a Ascema tenta reabrir o diálogo.

Negociações entre governo e servidores, iniciadas em outubro passado, enfrentam impasse após recusa de propostas de reajuste. O Ministério da Gestão e Inovação em Serviços Públicos aguarda resposta formal à última oferta de aumento salarial, que varia de 19% a 30%.

A paralisação pode resultar em atrasos significativos na execução de projetos, como plataformas previstas para operar nos próximos anos e novos poços de petróleo. Empreendimentos como o campo de Bacalhau, na Bacia de Santos, com investimentos bilionários, aguardam licenças do Ibama para iniciar operações.

A greve do Ibama iniciou em meio ao debate público sobre a exploração de petróleo na Margem Equatorial, defendida pelo presidente Lula, que destacou a capacidade técnica da Petrobras em operar mesmo em áreas ambientalmente sensíveis.









Últimas notícias de RONDÔNIA