Porto Velho (RO)20 de Julho de 202415:46:08
EDIÇÃO IMPRESSA
RONDÔNIA

Os Piratas do Madeira desembarcaram com tudo no estado causando terror nas facções

Confira a coluna


Imagem de Capa

Carlos Sperança

Foto: Reprodução

PUBLICIDADE

Monstro da seca

Durante décadas ocorreram ruidosos embates midiáticos e científicos entre catastrofistas (os cientistas que anunciavam o apocalipse climático inevitável devido ao descuido com o meio ambiente) e negacionistas (os que negando a ciência ou mesmo a praticando se baseavam na crença muitas vezes desmentida de que a natureza sempre consegue se autorregenerar).

Os catastrofistas, no geral, dividem-se hoje entre os que ainda colocam o ponto sem retorno para 2030 e os que garantem que ele já foi alcançado. Os negacionistas, envergonhados, desapareceram de cena ou se reciclaram, entrando no time dos que ainda acham que o ponto sem retorno está no futuro. De toda aquela trama sobrou agora o medo geral sobre os alertas de estiagens severas sucedidas por tempestades agressivas e invernos rigorosos entremeados de calor extremo e incêndios.

Há pouco, a Associação Nacional de Fabricantes de Produtos Eletroeletrônicos (Eletros) divulgou nota expressando preocupação com os impactos que o período de estiagem pode trazer à Amazônia neste ano. Não se trata de uma reação setorial, ou seja, a iminência de prejuízos para os produtos eletroeletrônicos, mas de um alerta para prejuízos acentuados a todos os amazônidas e todos os seus negócios, que poderão ser ainda maiores sem ações preventivas e corretivas adequadas. É a hora de posições afirmativas, do tipo "sim, nós podemos".

Piratas do Madeira

A filial rondoniense dos Piratas do Madeira desembarcou com tudo no estado, também causando terror nas facções dos traficantes e nos garimpeiros que se dedicam ao tráfico nas currutelas. Os traficantes com escritórios instalados no Orgulho do Madeira, Morar Melhor, Porto Madero e Cristal da Calama têm perdido terreno para a nova organização criminosa, fruto de uma união de bandidos amazonenses com paraenses que se notabilizam também no roubo de combustíveis das embarcações, assaltos de passageiros no trajeto Porto Velho Manaus e roubo de cargas de soja e milho no porto graneleiro. Rondônia se tornou um estado sem lei de vez.

Presente de grego

Embutido no projeto da restauração da BR 364, a rodovia Marechal Rondon, no trecho Porto Velho- Vilhena teremos várias cobranças de pedágios podendo custar a um caminhão bi trem que transporta soja para o porto no Rio Madeira a importância de quase R$ 1.000,00, uma verdadeira mina de ouro para as empreiteiras amiguinhas dos políticos ganhadoras das licitações. No Paraná a questão do pedágio tem rendido muita confusão nos últimos anos e vamos ver o que vai acontecer por aqui, num estado sem tradição de pedagiamento. A rodovia está comemorando 40 anos da sua pavimentação em setembro.

Frente Democrática

Aos poucos os partidos vão marcando suas convenções para homologação dos seus candidatos a prefeito, vice e vereadores em Porto Velho. O MDB de Confúcio Moura, Lucio Mosquini, Williames Pimentel abriu a temporada, marcando seu evento para o dia 20, para homologar a ex-juíza Euma Tourinho. Roga-se aos deuses que não haja pisões no pé, brigas e algazarras no encontro. Pelo seu lado, a Frente Democrática que une os três partidos da Federação Brasil Esperança (PT, PC do B e Partido Verde) se juntaram ao PDT para lançar Célio Lopes, num encontro marcado para o próximo dia 27, na Unopar.

Consultas em Brasília

Por sua vez, o PSB do professor universitário Vinicius Miguel está dividido entre ingressar na Frente Democrática indicando o vice, ou compor com Leo Moraes (Podemos) foi à Brasília recentemente para consultar as instâncias superiores sobre uma aliança em Porto Velho. Os próximos dias serão decisivos para o destino do PSB. Já, a Federação liderada pela Rede, que tem como candidato Samuel Costa ainda não se definiu. Em último caso poderá se unir a Vinicius Miguel numa chapa a prefeito ou disputar uma cadeira a vereança.

Via Direta

*** As adjacências da rodoviária provisória, na região portuária de Porto Velho, se transformaram numa baita cracolândia. Os riscos para os transeuntes que precisam se movimentar na região são enormes, desde facadas até assaltos cotidianos ***A expectativa é que os viciados, mendigos e meliantes não retornem a Av. Jorge Teixeira com a inauguração do novo terminal rodoviário da capital, ainda sem data prevista *** Buscando a transferência de imagem, o prefeito Hildon Chaves (PSDB) leva sua candidata à prefeitura de Porto Velho Mariana Carvalho (União Brasil) a tiracolo em todas as solenidades e inaugurações *** Confiram: todas as exigências de Máximo para apoiar Mariana estariam sendo atendidas pela coalizão chapa branca? Não é o Máximo?














Carlos Sperança

Últimas notícias de RONDÔNIA